SOBRE VENTRÍLOQUOS E TOUROS


Universidade.O rapaz caminhava lépido pelos corredores. As provas do semestre estavam encerradas. Férias pela frente. Sobe daqui; desce dali e acabou numa alameda desconhecida.
Ficou intrigado e resolveu segui-la. Divergia da arquitetura geral do campus. Algo antigo com toques de neoclássico? Seduzido seguiu em frente.
Ouviu um tropel de sinos.  Só teve tempo de se chocar contra a parede. “Mas que diabos” – pensou-  “Será que entrei na ala de veterinária ? Um cavalo ?”
Saiu da alameda jardinada e entrou num corredor. Cavalos não trotam por corredores de Universidade.
Havia um cruzamento. Estátuas níveas delineavam seus contornos. Jogou-se no chão e evitou o choque por milímetros.  Algo negro de olhos sangrentos. Cavalo. Sumiu como apareceu: tropel de sinos. Refeito do choque, foi tateando pela parede. Achou uma porta. Abriu-a: outro eqüino o aguardava. Ao menos teve sangue frio de fechá-la sem estrépito. 
Continuou em frente com movimentos de roedor. Silêncio total. Estacou diante de uma porta diferente das demais. Cheia de arabescos e entalhes de ferro.
Girou a maçaneta. Saiu num belo e ensolarado jardim. Olhou à sua direita: um cavalo!
Ele estava numa distancia considerável. Calculou que poderia correr e saltar o muro antes de ser pisoteado.
Respirou fundo e disparou. Sem chance. O caminho fora cortado. E pior, não era um cavalo que havia visto. Era um touro imenso. Montado sobre ele um homem de aspecto selvagem. Ao lado um bezerro.
Sentiu a respiração forte do animal perto de si. Apavorado não recuou:
- Bom dia meu senhor- falou em tom respeitoso- poderia me indicar a saída do jardim?
- Posso indicar - bramiu o touro.
Neste instante o rapaz se enfureceu e replicou num rosnado:
- Ora meu senhor ! Quase fui esmagado por cavalos antes de chegar aqui, estou machucado, confuso e agora converso com um touro ! Por que zomba de mim ? Não vou tolerar esse tipo de agressão, ainda mais levando –se em conta que meu tio é ventríloquo. Conheço esta Arte .
- Qual agressão – questionou o touro- ser pisoteado por cavalos com cascos de bronze ou conversar com um búfalo meu jovenzinho? Um touro tem no máximo a metade do meu porte.
- As duas, em especial a última meu senhor. –disse resoluto
- Quem você acha que é o ventríloquo?
- Por favor, pare de falar por intermédio do seu búfalo. – suplicou.

Um bramido –gargalhada ressoou . O chão tremeu. O homem que até então permanecia quieto insuflou-se de vida :

- Ora  jovem mestre eu sou o boneco !- e caiu de volta no seu mutismo.

O rapaz então compreendeu o horror da situação :

- Perdão Mestre Búfalo eu não percebi...
- Não se preocupe – falou o búfalo em tom amistoso – quem chega aqui geralmente se confunde.
- Que lugar é este?
-  Ainda quer sair daqui ?
- Q-quero...
- Duas opções : voltar por onde entrou ou montar nas costas do meu filho.
- Nas costas do seu filho?
- Meu filho é bem forte e você é um jovem franzino, um graveto nas costas de um búfalo.

O rapaz pensou por alguns segundos. Enfrentar cavalos de cascos de bronze ou somente subir nas costas de um bezerro. O búfalo escavava delicadamente a terra com a pata dianteira.
Montou nas costas do filho e seguiram por um caminho de pedras... 


Игорь

Comentários

mara* disse…
Delírio tropical. No delírio da febre que ardia. Aedes aegypti sorria.
Игорь disse…
Olá Mara .

O sorriso do Aedes , vulgo edinho pros íntimos ....OOps idéias ... me deste uma (s) .

um beijo
Sra. K. disse…
Puta que o pariu, FANTÁSTICO!!!!!!!! Amei!!!!
Игорь disse…
Rsss

Obrigado:)

Interpreto teu comentário com um "Parla!", mas algumas coisas só podem ser sugeridas .
Luana Inaudita disse…
Ao mesmo tempo remete aos clássicos e às narrativas oníricas e distópicas... Magnífico.
LuCordeiro, disse…
Eh,muitas vezes os homens são apenas ventríloquos.E nem se dão conta disso.
Ótimo e nem tão gótico assim.O búfalo me pareceu um iluminado.Crio que prefiro os búfalos. :-)
Bjsss
Игорь disse…
Oi Luana , muito obrigado ;)

Distopia foi , sem dúvida , um resultado voluntário . O controle racional anda em baixa por aqui . Ou melhor, pouco interfere .

bjo
Игорь disse…
Oi Lu , mais pra frente posto uma "ilustração" sobre o búfalo. A forma como o imagino é pouco simpática...

beijos
Dilberto L. Rosa disse…
Quer dizer que em meio aos delírios febris da tua dengue te imaginaste um aprendiz num mundo mágico de criaturas falantes?! Interessante... Lembrei dos livros de C. S. Lewis! Abração e volta logo aos Morcegos bater uma bolinha (e ler Poesia, que, ao contrário do que tu e minha mulher sempre pregam, mais uma vez pus "em excesso" ao lado de prosa)!
Игорь disse…
Olá Dilberto !

Viste um aprendiz , onde idealizei um prisioneiro.

Sem febre agora , mas os delirios permanecem .

abração
João Poeta disse…
Oi, Jorge!
Você não imagina a alegria que tive hoje ao receber a sua visita em meu blog. Estive um tempo parado, mas estou remoando devagar as atividades.
O que acabei de ler me parece um relato de pesadelo.
Você tem uma imaginação muito fértil.
Aquele abraço!
João
Игорь disse…
Olá João !! Bom vê-lo por aqui.

Você quase acertou . Um pé no oniríco ...

Abração !
Jens disse…
Não sei o que você anda tomando no café da manhã (ou seria na hora feliz do final da tarde?). Seja o que for, me manda um barril. Muito bom o conto. Excelente criatividade, que faz lembrar os mestres do absurdo.

Um abraço.
Игорь disse…
Uma dose de bourbon em jejum. O barril de boa cepa e safra será enviado como de costume ao castelo.

O absurdo está ao nosso redor . O tempo todo . Basta ver. Mas ao ver o absurdo está dentro ou fora de mim ?

Vai uma dose ?


abraços
Loba disse…
Interessante! Poucas pessoas se aventuram neste tipo de história. Até acho que temos razão: não sabemos sequer de nós humanos, que diria nós animais? Por isso invejo e admiro quem é capaz de se colocar sob outras peles. Porque é preciso se colocar para dar vida a tantos personagens, né? Muito bom, garoto!
Beijocas
(li aí pra cima que vc estava febril. desejo que já não esteja - ou que só venha a ter febre-prenuncio de novos contos)
Игорь disse…
Obrigado! Basta uma noite ou duas mal dormidas para as peles aflorarem ...

Sim estava e muito. Já passou. No entanto, a mente permanece febril.

beijos
Michelle Buss disse…
Mas adorei também! Tem muito talentooo!
Игорь disse…
Obrigado! Assim fico com vergonha.