How to die


Dark clouds are smouldering into red
  While down the craters morning burns.
The dying soldier shifts his head
  To watch the glory that returns;
He lifts his fingers toward the skies
  Where holy brightness breaks in flame;
Radiance reflected in his eyes,
  And on his lips a whispered name(...)


Siegfried Sassoon
(1886-1967)
World War I Poetry


Comentários

Dilberto L. Rosa disse…
Que glória será essa que retorna dum céu em chamas, eu me pergunto diante da loucura da guerra... Ainda mais quando o último nome balbuciado será perdido para sempre, sem uma honraria sequer! Belo poema catado entre os destroços de trincheiras ensandecidas... Meu abraço!
Игорь disse…
Boa pergunta.

Uma glória romântica, talvez. De quem só viu a guerra e não viveu.

Abraços !!
Mirella disse…
Demasiadamente INSPIRADOR.
Игорь disse…
Olá Mirella. A Primeira Guerra produziu uma série de poetas românticos e nacionalistas. Poderia-se dizer que foi um bom efeito colateral das misérias que a guerra criou.