Cazuza





O sapato ferrado e a sandália de veludo. Um silêncio . A lembrança . Cazuza de Viriato Corrêa . Edição de 38 .

" E no entanto, fomos todos terminar no mesmo monturo."

яя
Algumas coisas só se notam depois . O depoimento do voluntário do Paraguai . Uma história trançada em meios as outras . Tardiamente redescoberta  nas páginas amareladas do meu exemplar.



Ilustração de Renato Silva .



игорь

Comentários

Jens disse…
Putz, li Cazuza quando era projeto de delinquente mirim e gostei pra caramba. No entanto, por alguma razão desconhecida, meu cérebro guardou alguns passagens do livro e a sensação que a sua leitura me causou, mas suprimiu o nome da obra e do autor, agora recuperados graças a tua postagem. Só pela capa já se pode reviver a ingenuidade poética daqules tempos.

Um abraço.
Игорь disse…
Oi Jens .

A capa é decididamente ingênua. Mas o livro tem passagens terríveis e poéticas .

Abraços
Dancei. Só conheço o Cazuza exagerado.
bj
LuCordeiro: disse…
Todos terminarmos no mesmo monturo me parece um destino horrível.Me lembra catástrofes e extermínios em massa.
Não conheci esse livro "Cazuza", mas a frase que vc pinçou me angustiou.
Bjsss...
Frank Saiu disse…
E eu lendo coleção vagalume... q lástima.
Игорь disse…
Este livro é bem anterior a coleção vagalume e ao Cazuza hehehe .

Foi escrito numa época sombria : Estado Novo e pouco antes de estourar a Segunda Guerra .

abraços !
LuCordeiro: disse…
Ei,Игорь,imagino que vc deva estar mto ocupado... rss... e te aplaudo.Mas não aguento mais vir aqui e dar de cara com o Cazuza. Vai postar qdo,hein,queridão? Os amigos estão sentindo sua falta,sabia?
Aparece,rapaz!!!
bjssss...
Игорь disse…
Oi Lu to meio enrolado . Alguns posts são pré - programados ...Rsss


beijos