Cães na Garrafa

  Dois cãezinhos brincavam . Um negro e outro amarelo- palha . Ganiam de alegria. . Corri  atrás dos bichinhos  nas ruas cor de sépia e becos descoloridos de carmim. Eles eram espertos e tentaram me iludir, cada um correndo para um lado.
 Sem chance , capturei um por um e os guardei dentro da minha garrafa . Voltei pra casa, a cantarolar . Tinha dois cães engarrafados. As pessoas comentavam : “ Que sujeito sortudo, ele tem cães na garrafa. “
 Poderia apresentá-los no Grande  Teatro e até mesmo atravessar o Mar do Esquecimento  ...
Mal  fechei a porta , corri para a cozinha . Levantei o recipiente contra a luz . Os cães haviam desaparecido . No lugar deles havia um inseto. Sabia que era um inseto, pois tinha seis patas, aracnídeos têm oito . Não importa, meus cães e a minha  apresentação  estavam momentaneamente prejudicados . Chamei um empregado : “ Procura por meus cães que fugiram da garrafa" .  “ Sim sinhô “- ele respondeu .  Teve um arrepio ao ver o inseto se debater e sumiu para o quintal .
 Malditos cães ! Era garantido que a garrafa os deteria . Agora tinha um inseto indesejado. Espere...Observei com mais cuidado o conteúdo da botija . A coisa  esperneava e gritava . Uma secreção escorria pelo que deveria ser a boca . Um cheiro intrigante começou a se espalhar .
 Fui ao banheiro nauseado. Olhei para a garrafa pela a última vez... Porta cerrada...  Os gritos aumentaram de intensidade e tom ... Meu empregado desaparecera...

 Os gritos foram substituídos por um ciciar grave e lento . Sombras pela fresta da porta  . Fugi em pânico .  Tomei um velho táxi .

 Minha casa estava  condenada .

II
 Repousava um sono suave quando  invadiram o recinto .  Eram  as Quase-Formas . Adejavam em torno da minha cama . Evitei movimentos bruscos . O pior era o silêncio destilado de suas faces .Numa estranha dança, as quase-formas se acasalaram ...
 Meu corpo  congelou e algo na minha mente se rompeu .  Ao terminarem elas deixaram o recinto.  Uma delas em especial, deteve-se a centímetros do meu rosto antes de partir . Um cheiro intrigante me envolveu .
  Condenado.

Игорь




Comentários

audiencia da tv disse…
que texto lindo adorei tbm adorei o blog e estou te seguindo se quiser seguir o meu agradeço
http://audienciadatvrealtimes.blogspot.com/
abraçossssss!!!!!
LuCordeiro, disse…
Ah,essas imagens do inconsciente!Somos metamorfoses ambulantes e largamos fragmentos por aí.O difícil é reuní-los para que formem uma unidade.
Queridão,vc é um caleidoscópio.
bjsss sem cheiro.
Jens disse…
PQP! Muito bom. Realismo mágico, nonsense? Não sei. Só sei que gostei.
Assim como na pintura, também na prosa teu estilo me faz lembrar H.P. Lovecraft.

Um abraço.
Dilberto L. Rosa disse…
Cruzes: Poe e Kafka deram as mãos e deles saíram cachorros diabólicos, Quase-Formas e insetos purulentos! Muito bom: extravagante e poeticamente prenhe de Terror de boa qualidade... Abração, meu caro sumido!
Frank Saiu disse…
Uau!!!!!!
Esse é da lista dos geniais!!!

Abraço!
Игорь disse…
Audiência da TV : obrigado pela visita , já já visito teu blogue ;)
Игорь disse…
Oi Lu !!!

Até mesmo tem caos e loucura tem método ...

beijos
Игорь disse…
Jens tive um P* de um pesadelo. E Lovecraft é uma forte influência .

um abraço
Игорь disse…
Oi Dilberto , ando um pouco sem tempo, mas atento. Escrever sobre Terror , considero uma tarefa árdua.

Este faz parte dos meus alfarrábios.

Abraços !
Игорь disse…
hehehehe , Valeu Frank.

Vodca e flak podem ser letais ....


abraços
mara* disse…
passando para deixar um beijo enquanto espero o retorno do sistema que caiu sabe-se lá onde...rs...
Dilberto L. Rosa disse…
Ó, pá das taxidermias antropofágicas do melhor terror inconsciente: caíste na garrafa?! Keep walking... And writing! Abração!
Игорь disse…
Olá - o sistema caiu aqui e acordei dentro de uma garrafa ( de oxigênio) .

abraços
Sra. K. disse…
Difícil de definir, tal qual as coisas boas!!!! parabéns
Игорь disse…
obrigado Sra. K. talvez "definir" seja um mal da mente racional.
Michelle Buss disse…
Estou encantada! Muito bom!
Игорь disse…
Oi Michelle. Obrigado por ter paciência em ler até o fim !